Compartilhe

A importância do seguro para condomínios

É dever do administrador de um condomínio, conforme previsto no novo Código Civil (art. 1. 346), a contratação de seguros que protejam a estrutura do prédio contra o risco de incêndio – evento que pode provocar destruição total ou parcial. Além disso, existem coberturas opcionais, que não se referem à estrutura da edificação e garantem indenização para sinistros que envolvem desde automóveis e elevadores até casos de má administração não intencional de pessoal. Essas coberturas devem ser aprovadas em assembleia.

Os sinistros mais comuns em condomínios acontecem na garagem, com portões e carros. Os acidentes com elevadores não são frequentes, mas impõem perdas severas quando ocorrem. Se, por exemplo, algum morador, visitante ou funcionário, cair no espaço do aparelho, a responsabilidade não caberá á empresa responsável pela manutenção e sim ao condomínio. As vítimas e respectivos familiares terão direito, a valores altíssimos. No caso de acidente com funcionário da conservadora, o condomínio pode ser citado como corresponsável. Haverá exceções, caso fique comprovado mau uso, como ignorar sinais de advertência ou exceder os limites de peso e lotação.

Para mapear a evolução econômica deste segmento, o economista e consultor do Sincor-SP, Francisco Galiza, realizou um estudo em parceria com a Comissão Riscos Patrimoniais do Sindicato, formada pelos corretores de seguros Marcos Marcondes (coordenador) , Nelson Fontana, Orlando da Costa Filho, Marcos D’Agostini e Ednei Valter Bim. A área de Riscos patrimoniais engloba, além dos seguros condominiais, os residenciais e empresariais.

Receita

Embora com uma receita relativamente pequena, o seguro de condomínio-tem tido uma trajetória crescente e constante nos últimos anos. Em 2009, o faturamento do segmento alcançou o patamar de, aproximadamente, R$ 170 milhões, contra quase R$ 100 milhões em 2004.

Produtos

O seguro condominial é obrigatório (o condomínio leva multa, se não o fizer), devendo cobrir todos os danos que possam ocorrer à estrutura do prédio. Normalmente, contratam-se coberturas do tipo “multirrisco”, que envolvem incêndio, raio, explosão, danos elétricos, vendaval, impacto de veículos e responsabilidade civil do condomínio.

As coberturas opcionais podem estar relacionadas a quebra de vidros, subtração de bens do condomínio, responsabilidade civil do síndico, vida e acidentes (dos funcionários) , responsabilidade civil da guarda de veículos, portões, alagamento, desmoronamento, tumultos, “sprinklers” ( chuveiros automáticos para extinção de incêndio) , etc.

Publicado em:  01 de março de 2010

Fonte: JCS – Jornal do Corretor de Seguros/SP

Conheça as nossas redes sociais: